A gala de entrega contará com a actuação de diversos grupos bracarenses de diferentes áreas artísticas.

Participantes do sarau artístico-cultural da XXII edição:

Quinteto de Saxofones do Conservatório e Música Calouste Gulbenkian de Braga

Este grupo, com esta formação específica, iniciou a sua atividade em setembro de 2018, no âmbito da disciplina de Música de Câmara. Os seus elementos têm vindo a desenvolver um trabalho musical regular, nesta vertente musical, tanto em grupos no contexto da disciplina, como em projetos extracurriculares.

Dando cumprimento e seguimento ao caráter prático da sua atividade, esta formação sai muitas vezes do esfera académica e apresenta-se em momentos musicais na comunidade que a rodeia e em concertos, de destacar os seguintes: Noite Branca 2015; “Sons da Gulbenkian” no Theatro Circo; participação no EurSax’17 - II Congresso Europeu de Saxofone; concerto no “RNCM Sax Day’18” no Royal Northern College of Music em Manchester, UK.



Vocal Ensemble

O grupo “Vocal Ensemble” surgiu, em outubro de 2013, da vontade de um grupo de pessoas com gosto comum pela música polifónica. Este projeto iniciou sob a direção do maestro Arlindo Ferreira e é formado por cerca de 25 elementos, possuindo um vasto repertório polifónico em vários estilos e idiomas.

Já atuou em alguns dos locais mais emblemáticos da nossa terra, nomeadamente no café "A Brasileira", Parque da Ponte, Palácio do Raio e no Palácio dos Biscainhos. O grupo marcou, ainda, presença em atividades noutras localidades, com destaque para as festividades de Santo António, em Amares, no Teatro Sá de Miranda, em Viana do Castelo e participou em vários encontros de coros no Porto.

Ensaia semanalmente, à terça feira pelas 21h, na sede da Junta de Freguesia de Lamas, Braga.



Os Boca Do Povo

Surgem em 2015, quando um grupo de amigos, que já tocavam juntos e tinham em comum a paixão pela música, decide começar a escrever e compor os seus originais, na língua de Camões e Pessoa. Juntam as várias influências dos membros da banda para criarem o seu próprio estilo, juntando ao Pop e ao Rock, algo Alternativo e uma pitada da Música Tradicional Portuguesa. É composta por Margarida Gomes (voz, guitarra e percussão), Gabriela Oliveira (teclado e coros), Nuno Alvelos (bateria e coros), José Alves (baixo e coros) e José Gomes (guitarra e coros). Em outubro de 2016, lançam o primeiro álbum de originais – PINÁCULO. Na atualidade encontram-se em estúdio a gravar um novo álbum, ainda sem data de lançamento, mas prometem ser em breve.



BragaDança / RS Ballroom Team

A BragaDança surgiu em 2013 do empenho de Sónia Mota e Ricardo Silva, amigos de longa data, com uma paixão comum: a Dança.

Tendo como base a vontade de levar a dança a todos os que gostam de dançar, independentemente da idade, condição física e estratos sociais, o projecto tem no seu ADN uma componente solidária e inclusiva muito vincada, onde privilegia as parcerias com várias instituições do nosso concelho.

Actualmente, está instalada no BragaRetailCenter e conta com várias modalidades de dança e fitness, mobilizando várias crianças e adultos nas mais variadas vertentes (social e competição)

No seu leque de ofertas contam as seguintes modalidades: pilates, ginástica artística, yoga, judo, ballet, dança contemporânea, dança adaptada, danças afrolatinas, zumba, dance kids, sapateado, Dança de Salão, entre outras.

A dinâmica BragaDança/RS Ballroom Team surgiu há mais de um ano e neste momento está a desenvolver um trabalho promissor na área da Dança Desportiva tendo mais de quatro dezenas de atletas competidores. Os resultados da equipa desportiva são bastante satisfatórios tendo vários campeões nacionais e vice campeões, nas várias categorias. Esta equipa é orientada pelo treinador e ex-competidor, Ricardo Silva.

Vozes do Passado Grupo Folclórico da Universidade do Minho

O Grupo Folclórico da Universidade do Minho foi fundado a 22 de junho de 1993, integrando as festas sanjoaninas da cidade de Braga. Inserido na ARCUM – Associação Recreativa e Cultural Universitária do Minho, a sua criação prende-se com os objetivos de recolha, preservação e divulgação da cultura popular do Baixo Minho. Desta forma, contribui para o enriquecimento da esfera cultural da academia minhota e da cidade de Braga, assumindo um papel de legítimo defensor deste património cultural. Com o seu trabalho dá a conhecer as mais variadas manifestações típicas do povo minhoto: o trajar, o cantar e o dançar nos finais do séc. XIX e inícios do séc. XX, procurando despertar na juventude da academia o seu respeito e valorização. No seu historial, destaca-se o seu primeiro CD, “Memórias Cantadas”, integrado na Coletânea do Folclore Português, em representação do concelho de Braga bem como o espetáculo de vídeo mapping “Braga é Tradição” comemorando os seus 25 anos. Dos vários eventos que apresenta como exposições, desfiles do traje e formações de etnografia e folclore, organiza o FUMP – Festival Universitário de Música Popular, o recital “Canção Bracarense” e o concerto “Quem canta, seus males espanta”. Já percorreu o país de Norte e Sul, passando pelo arquipélago dos Açores e Madeira e conta com atuações na Espanha, França, Luxemburgo, Alemanha, Itália e Irlanda do Norte.

Grupo de Zés Pereiras do Centro D. João Novais e Sousa

O Centro Novais e Sousa (CNS) é uma resposta social da Associação da Creche de Braga - Instituição Particular de Solidariedade Social, vocacionada para o atendimento da população com Deficiência Mental (DM). Tem em funcionamento dois Centros de Atividades Ocupacionais que atendem, atualmente, 65 Pessoas com Deficiência Mental (DM), com idades compreendidas entre os 22 e os 56 anos. São, maioritariamente, jovens/adultos do concelho de Braga, mas também dos concelhos limítrofes (Amares, Vieira do Minho, Póvoa do Lanhoso e Guimarães).

Para dar uma resposta o mais adequada possível às necessidades e capacidades desta população, dispõe de diversas atividades, que abrangem o desenvolvimento pessoal, bem como sociocultural. É desta grande dinâmica e multiplicidade de ações que nasce o Grupo de Bombos do Centro Novais e Sousa. Os seus elementos têm idades compreendidas entre os 18 e os 59 anos, e frequentam o Centro de Atividades Ocupacionais.

Violino Escola de música Mozart

A Escola de Música Mozart/Yamaha Music School Braga é uma instituição direcionada para o ensino da música. Leciona vários estilos musicais, do erudito à música tradicional portuguesa, passando pelo Pop, Rock e Jazz, apoiada nas mais recentes metodologias e tecnologias. Os cursos são direcionados para todas as faixas etárias, havendo a possibilidade das aulas serem individuais ou em grupo, dependendo do curso em questão. Como a qualidade de ensino é uma preocupação constante, a Escola de Música Mozart associou-se a instituições internacionais de elevada reputação para certificarem os cursos nela ministrados. Saiba mais em www.escolamusicamozart.com

Galardões Multimédia



- António Cunha (Galardão Ciências e Educação) - Edição XIII, 2010